Cresce as micro-cervejarias no Brasil

Um crescimento considerável para o setor de cervejas artesanais foi divulgado pelo Ministério de Agricultura, Pecuário e Abastecimento (MAPA). De acordo com o ministério o número de cervejarias artesanais já chega a 610 e só no primeiro semestre foram concedidos 91 registros. O Sul e Sudeste possuem a maior concentração das fábricas desta bebida superior, 42% e 41% respectivamente e apenas 3% no norte do país. O estado que possui maior número de cervejarias é São Paulo com 122 registros, depois vem o Rio Grade do Sul com 119 e Santa Catarina com 72 cervejarias.

De acordo com Carlo Lapolli, presidente da Associação Brasileira das Cervejarias Artesanais (Abracerva), os dados são reflexo do momento do mercado. “O número de bares e restaurantes com cartas de cervejas e mais variedade de chopes, por exemplo, está crescendo diariamente. O consumidor, antes acostumado a beber apenas rótulos comerciais, está descobrindo que os sabores da bebida vão além disso. E investidores e apaixonados estão apostando nisso como um negócio rentável”, comenta.

Em relação aos índices, Lapolli destaca também que o número de cervejarias é diferente – e menor – do que a quantidade de marcas. “No nosso mercado é muito comum que as cervejarias iniciem como ciganas: uma forma de terceirização da produção. Isso faz com que o consumidor tenha ainda mais opções na hora de escolher”, diz.

O presidente da Abracerva aponta que, para sustentar o crescimento do setor, são necessárias condições igualitárias de competitividade com os grandes grupos cervejeiros (especialmente em relação à carga tributária) e mais conhecimento do consumidor. “Estamos trabalhando para ambos”, afirma.

Uma informação importante é que a partir de janeiro de 2018 as cervejarias com o faturamento inferior que R$4,8 milhões podem aderir ao simples. Lembrando que a lei aprovada em Brasília em outubro, só chegou depois de muito trabalho e uma duradoura e grande pressão da comunidade cervejeira e da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva). Com a lei em vigor, haverá redução considerável da carga tributária do setor de bebidas alcoólicas, em especial as pequenas vinícolas, microcervejarias e produtores de cachaça artesanal. É um pequeno passo, porém de suma importância do Governo Federal, incentivando toda cadeia, principalmente os pequenos produtores.

 

Um espaço em crescimento

 

Há muito tempo se fala que as artesanais absorvem cerca de 1% da fatia do mercado, mas o número de cervejarias não para de aumentar, então estes números não batem, nos faz entender que a competitividade cresce mas o consumo, não. O diretor da Escola Superior de Cerveja e Malte, Carlo Bressiani explica que, esses dados podem estar equivocados.

Bressiani conta que. “Não é possível que o número tenha se mantido estável partindo do pressuposto que houve um aumento muito grande no número de cervejarias e praticamente não existem notícias sobre cervejarias encerrando suas atividades. O que acontecia era, realmente, uma imprecisão nos dados que não nos permitia clareza. Hoje há. E 1% do terceiro maior mercado de cervejas do mundo é um montante que temos que comemorar, óbvio que há espaço para crescimento”, finaliza Bressiani.

 

(Informações obtidas no site da Abracerva – Outubro de 2017)

 

Noticias Relacionadas

Comentários

Comentários

Américo Rabelo
Publicitário e criador do Portal Love Beers

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Style switcher RESET
Body styles
Color scheme

Pin It on Pinterest